Páginas

Eficiencia, entendida aqui entre nós como menos desperdícios.

Convivemos com um desperdício incompreensível para um País onde muitas pessoas vivem em situação de risco. Dentre eles, meu foco é a melhoria de desempenho das redes de infra-estrutura urbana. Sòmente na área do Saneamento Básico, que se considera a rede de água, esgoto, drenagem e a coleta e tratamento do lixo, melhorias na qualidade de vida que se estima em R$1 Bilhão/ano foi registrada pela FGV-Fundação GetúlioVargas e Instituto Tatra ( julho, 2010), além de evitar a morte de mais de 1.000 pessoas. A rede de vias públicas insuficientes e com manutenção precária, afeta o sistema de transportes de materiais e de pessoas, com congestionamentos, poluição, desperdício de energia e principalmente consumindo o tempo das pessoas que poderia ser dedicado à sua melhoria de qualidade de vida.

Eficiencia, entendida aqui entre nós como menos desperdícios.

Convivemos com um desperdício incompreensível para um País onde muitas pessoas vivem em situação de risco. Dentre eles, meu foco é a melhoria de desempenho das redes de infra-estrutura urbana. Sòmente na área do Saneamento Básico, que se considera a rede de água, esgoto, drenagem e a coleta e tratamento do lixo, melhorias na qualidade de vida que se estima em R$1 Bilhão/ano foi registrada pela FGV-Fundação GetúlioVargas e Instituto Tatra ( julho, 2010), além de evitar a morte de mais de 1.000 pessoas. A rede de vias públicas insuficientes e com manutenção precária, afeta o sistema de transportes de materiais e de pessoas, com congestionamentos, poluição, desperdício de energia e principalmente consumindo o tempo das pessoas que poderia ser dedicado à sua melhoria de qualidade de vida.
Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

MEDINDO A QUALIDADE DE VIDA



Pode-se medir a Qualidade de Vida Urbana? Dá prá avaliar, acredito.
O "Movimento Nossa São Paulo", fez uma pesquisa com milhares de pessoas para verificar as prioridades dos cidadãos quanto às necessidades de serviços públicos.
E chegou  a números interessantes.
Como a população entende como maiores necessidades de intervenção do Poder Publico face às condições inadequadas das cidades.
Solicitam prioridade de atendimento para as áreas:
Educação........................ 58,89%
Saúde ............................ 56,30%
Meio Ambiente .............. 49,54%
Segurança ..................... 48,11%
Trabalho ....................... 41,62%
.....................................
Mobilidade.................... 17,71%

O interessante desses números é que o transito ( Mobilidade) ficou bem abaixo das outras prioridades.
Será que a população entendeu Mobilidade como outra coisa? Algo como atenção aos deficientes físicos? Confundindo com acessibilidade?
Enfim, a pesquisa está feita.
Analisando esses ítens, podemos perceber que cada um deles interage com outros. Por exemplo, a saúde seria melhor se não tivesse problemas ambientais de poluição dos escapamentos dos automóveis. A poluição do ar seria menor se tivessemos menos veiculos poluidores em circulacão, e os veiculos ficassem menos tempo com o motor ligado, caso pudessem evitar os constantes congestionamentos de tráfego.
 A saúde seria melhor com menos tempo dispendido no tráfego, seja em onibus, metrôs, trens ou carros.
O meio ambiente seria melhor com mais calçadas para pedestres, as mesmas calçadas que já foram mais largas e que os carros se apropriaram para dar lugar a mais pistas de trafego.
Com melhor transito pode-se trabalhar mais, descançar mais, o que melhora a saúde e a renda.
Os pesquisados não entenderam dessa maneira, e os resultados podem não refletir a verdadeira prioridade: a mobiidade, o des-congestionamento do tráfego.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

GEISY É MAIS QUE UM INCIDENTE...

No caderno "Aliás" do Jornal O Estado de São Paulo ( ainda sob censura) deste domingo, uma interessante matéria focando o ensino superior neste País, por Fausto Castilho, do Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas da Unicamp: "A catástrofe da Mercantilização do Ensino".
A Nova Lei dos Estágios, segundo ele, por exemplo, é uma forma criada pelo Governo Federal para financiamento do mercantilismo. Essas bolsas são um expediente para ...sustentar universidades particulares...que não são universidades.
José de Souza Martins da Faculdade de Filosofia e Letras da USP diz que "O proletariado rebelde dos anos dourados de Vila Euclides não teve herdeiros ccapazes de lidar com um minivestido  na faculdade." ...um operariado que, se demonstrou competencia na adesão ao capitalismo e na ambição do poder, não demonstrou a menor competencia para criar as bases sociais da ressocialização de seus filhos para a sociedade moderna, aberta e democratica." A pratica do linchamento tem sido em todas as partes forma violenta de ação conservadora, no sentido de enquadrar e até cancelar a presença dos diferentes e dos inovadores, como a moça da Uniban, para restaurar a ordem conformista, supostamente por eles ameaçada. ( conservadorismo popular).
A culpa não seria de quem agiu violentamente, mas de quem divulgou a violência."
Temos portanto um quadro de mercantilismo do ensino voltado para gerações sem bases sociais e dispostos a um conservadorismo de uma condição duvidosa simplesmente herdada da geração sindicalista do ABC.

domingo, 15 de novembro de 2009

IBIRAPUERA EM DIAS DE CHUVA...

Uma opção bem interessante para os paulistanos.
Em dias de chuva passe o dia no Parque Ibirapuera para caminhar, andar de skate ou patins abrigado pelas marquises. Tem o Museu de Arte Moderna para visitar, com sua loja de souvenir, café e restaurante ( R$35,00), tem o restaurante por quilo e lanchonete sob a marquise e diversos ambulantes com beliscos e sorvetes. Tem o Museu de Arte Contemporânea - MAC, e no mesmo pavilhão a 8a.BIA -  Bienal Internacional de Arquitetura, com duas livrarias com livros de Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo, estande da Pirelli, estande de Portugal mostrando obras na Africa, estande da Alemanha num workshop sobre uma área de Diadema, da Grande São Paulo, o estande da França, com as maquetes móveis, o estande da Itália com seus paineis de Patrimônio, estande de Hong-Kong com suas propostas de estruturas arquitetônicas, emuito mais. Odia de chuva é excelente para caminhar pelos 25.000m2 da exposição, este ano com espaços para andar sem atropelos. Grafiteiros, venham prestigiar seus colegas Ozzy, Jaime, Kobra, etc. que montaram grandes paineis em locais bem visiveis.

Painel do Ozzy no 2o. piso em frente a rampa de
pedestres, com a figura do Niemeyer pensativo e do Ozzy logo abaixo

Almoce na 8a. BIA, no Restaurante NOAH comandado pela Cynthia, com pratos bem elaborados, diferentes a cada dia ou com salgadinhos de buffet de boa qualidade tudo muito gostoso e com atendimento de primeira. Confira.

sábado, 14 de novembro de 2009

BRASILIA 50 anos

Na edição especial da revista Veja, Brasilia 50 anos, muita informação interessante abrangendo vários aspectos da sua história. Um dos artigos, do antropólogo James Holston, professor da Universidade da Califórnia, Campus de Berkeley, fala sobre o Tombamento como patrimonio da humanidade. Visto como uma paisagem, limitado ao seu aspecto imobiliário ( urbano e arquitetonico) deixa de lado aspectos importantes da formação de um ambiente diferenciado do resto do País, focado na invenção. A história oficial registra seus criadores minoritários, mas os majoritários que lotam as periferias e que contribuem para "baixar" a estatística de maior salário médio nacional ( PIB per capita de R$37.600,00 sendo o nacional de R$12.668,00), ficam fora da história, apesar de sua inventividade. O inovador e experimental dessa população tem sido ignorado." Desde os dias pioneiros de Brasilia,...esse espirito tem sido sepultado sob camadas de preservação legal que o impedem de inspirar novas gerações de cidadãos brasilienses, que impedem esses cidadãos de o usaem para tornar a cidade viva com suas propris experiencias".
Lendo outros artigos da mesma revista, observamos que a cidade viveu mostras de pioneirismo, coragem e vontade politica, busca de liberdade, momentos de convivencia de classes ( depoimento de Oscar Niemeyer), improvisação, idealismo, etc., que constitui um legado para os que lá permaneceram e os que lá nasceram. Uma prova disso é a caracteristica crítica e irônica da Banda Legião Urbana, nascida Aborto Elétrico, que reflete a juventude brasiliense.
É um aspecto interessante de influencia de um meio urbano na formação da cultura de uma população. Essa maioria, quem sabe, um dia poderá alterar a mentalidade dessa minoria, principalmente de politicos que ainda domina economicamente o DF, com inovações para este País. Nesse dia, os urbanistas poderão comemorar que suas cidades tem o poder de influenciar a população residente.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

ACACIO GIL BORSOI

Acácio Gil Borsoi (1924-2009).




O Instituto de Arquitetos de do Brasil - Departamento de Pernambuco IAB-PE, comunica a nossos associados, parceiros, fornecedores e amigos o falecimento do arquiteto ACÁCIO GIL BORSOI, nesta quarta-feira (4/11), na cidade de São Paulo.



Nascido no Rio de Janeiro (RJ), filho, esposo, pai, avô e mestre de várias gerações de arquitetos brasileiros. BORSOI diplomou-se no final dos anos 40, na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Brasil. Transferiu-se para o Recife com apenas dois anos de formado onde foi um profissional da mais alta relevância.



BORSOI participou de várias Diretorias e Conselhos do IAB-PE e foi escolhido como patrono do 19º Congresso Brasileiro de Arquitetos, uma homenagem dentre as várias manifestações de reconhecimento que já lhe foram prestadas ainda em vida. Dentre todas vale ressaltar o Colar de Ouro, comenda máxima da arquitetura brasileira, concedido pelo IAB Nacional, em 2006, pela sua contribuição para a arquitetura e urbanismo brasileiros.



BORSOI vai ser velado em São Paulo onde irá ser cremado. Posteriormente as cinzas serão trazidas para Recife, em data a ser divulgada.





IAB-PERNAMBUCO

Rua Jener de Souza, 130

Derby 52010-130 Recife PE

Fone/Fax (81) 3222 1576

www.iabpe.org.br

http://twitter.com/iabpe

iabpe@iabpe.org.br

iab.pernambuco@gmail.com

www.19cba.com.br

terça-feira, 3 de novembro de 2009


As tres plataformas da rodovia urbana - a primeira e a ultima
são pistas de rolamento, 3x3,5m com 3 pistas e uma faixa de
estacionamento.




Numa visão futurista vemos o TUBO ou túnel aéreo com
3 pistas, uma que vai outra que vem e uma de pista de
rolamento - que serve como manobra de retorno.
Na parte de baixo, septos destinados .

Ainda ontem, deparei com estes desenhos de rodovia urbana.
A intenção de fazer uma estrutura que possa, dentro de alguns anos ser de uso compartilhado, motivou uma estrutura com duas pistas separadas, estacionamento, galerias para cabos e tubulações.
O piso de estacionamento se transformará em pista de VLT ( Veículo Leve sobre trilhos), ou até trens mais rápidos. Para isso a estrutura terá curvaturas e reforços de estrutura no padrão de ferrovia.